sábado, 13 de março de 2010

RTP-N fez-me rir

Há pouco, por mera casualidade, passei pela emissão da RTP-N.
Estava a noticiar o congresso do PSD e, naquele momento, abordava a intervenção de Santana Lopes.
Então não é que o jornalista da RTP-N passou ao lado da frase mais importante de todo o discurso? É verdade!
E qual foi essa frase? - perguntará o leitor.
Eu explico: foi aquela em que, ao mesmo tempo, Santana fez duas vítimas - Cavaco Silva e José Sócrates.
Cito de memória: «O senhor Presidente da República não levará a mal que eu pergunte: é esta a boa moeda?»
Um "tiro" certeiro em dois porta-aviões! Mas que passou ao lado de um jornalista distraído - o da RTP-N.
Mudei logo de canal. Mas ainda me estou a rir.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Recorte da semana

("Diário de Coimbra", 8 de Março de 2010)

quinta-feira, 11 de março de 2010

A primeira árvore


Hoje, às 11h45.

Mulher de Mourinho beatificada?



Os italianos lembram-se de cada coisa... :)

terça-feira, 9 de março de 2010

As promessas do PS

Governo corta no subsídio de desemprego para controlar défice. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo decide congelar salários reais dos funcionários públicos até 2013. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo aumenta a carga fiscal para a generalidade dos contribuintes. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo decidiu baixar o investimento público até 2013 para metade do registado em 2009. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo adia lançamento das linhas de alta velocidade Lisboa-Porto e Porto-Vigo. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo suspende lançamento de novas concessões rodoviárias. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo admite privatizar TAP, CTT e a área seguradora da Caixa Geral de Depósitos. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Governo admite vender participações na EDP, Galp e REN. A medida não constava do programa eleitoral do PS.

Lembremos o que o PS prometia aos portugueses no seu programa eleitoral, apresentado a 29 de Julho e sufragado a 27 de Setembro de 2009. Um programa no qual se sublinhava que "o Governo do PS venceu a crise orçamental":

- "Avançar com o investimento público modernizador."

- "Rejeitar o agravamento de impostos."

- "Promover o trabalho digno, a participação e a negociação colectiva."

- "Melhoria sustentada dos salários."

- "Prosseguir a concretização do plano rodoviário nacional."

- "Concretizar as linhas de alta velocidade Porto-Vigo e Lisboa-Madrid até 2013 e a linha Lisboa-Porto até 2015."

Dizia-se ainda, sem sombra de dúvida: "A nossa resposta é clara: parar, adiar, suspender, rasgar - não pode ser esse o caminho."

Com este programa, o PS foi a votos. E venceu. Faz hoje precisamente cinco meses e dez dias.


(transcrito do blogue "Delito de Opinião")

Modernices educativas

Ouvi a ministra da Educação dizer na tv que «o ministério tem tado em contacto com a escola». Modernices.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Música por música...

... prefiro esta.
(Embora não goste muito, muito.)

Injustiça?... Eu chamo-lhe roubo!

(capa do "Público" de hoje)

Parolos

«O primeiro ministro tem-se mostrado confiante na recuperação das finanças públicas, salientando que consegue reduzir o défice para 3%:" Já fiz este exercício, sei como o fazer." Bagão Félix recorda que o ponto de partida da última vez foi 5,2% e não 9,3%. "Sócrates trata-nos como uma cambada de parolos ao afirmar isso", diz ainda o economista.»