sábado, 16 de junho de 2007

José Couceiro

Acabo de ver na televisão imagens surrealistas de uma conferência de Imprensa de José Couceiro, treinador da selecção de sub-21, na Holanda.

Confesso que não foi o que gostaria de ver num treinador da selecção nacional.

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Invulgar

Extraordinário: as três empresas que hoje mais valorizaram na Bolsa de Valores chamam-se Benfica, Sporting e FC Porto.

E está falido o futebol português...
CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Benfica "opado"

A OPA que Joe Berardo lançou sobre as acções do Benfica levaram já a uma valorização de 82,89% (!!!) do "papel benfiquista".

Se vencer o campeonato fosse assim fácil...

22 dias


Entro hoje na quarta semana sem comprar jornais.
O objectivo está quase alcançado.

As milésimas dos árbitros

Tal como no ano passado, deixo um simples aviso: se alguém se rir, retiro imediatamente do blogue a classificação dos árbitros de 2006/2007...

1 - Pedro Proença 9,863
2- Lucílio Baptista 9,808
3- Olegário Benquerença 9,802
4- Jorge Sousa 9,797
5- João Ferreira 9,790
6- Bruno Paixão 9,735
7- Pedro Henriques 9,734
8- Carlos Xistra 9,707
9- Paulo Paraty 9,682
10- Elmano Santos 9,670
11- Paulo Costa 9,633
12- João Vilas Boas 9,612
13- Hugo Miguel 9,599
14- Cosme Machado 9,598
15- Rui Costa 9,574
16- Paulo Baptista 9,573
17- Rui Silva 9,567
18- Artur Soares Dias 9,561
19- Paulo Pereira 9,523
20- Vasco Santos 9,521
21- Augusto Duarte 9,514
22- Nuno Almeida 9,503
23- Carlos Duarte 9,483
24- Hélio Santos 9,448

Árbitros, cafés e presidentes

Apito Dourado: ela viu dinheiro... e ele só cafezinho

PJ OUVE AUGUSTO DUARTE E CAROLINA SALGADO

O árbitro Augusto Duarte, que se mantém na 1.ª categoria, e Carolina Salgado foram ouvidos esta semana na Polícia Judiciária do Porto a propósito do inquérito ao jogo Beira-Mar-FC Porto, relativo à época de 2003/2004.

O processo fora arquivado pelo DIAP de Gaia mas Maria José Morgado entendeu reabri-lo depois de ouvir a ex-companheira de Pinto da Costa, que reafirmou o que dissera em Janeiro a Maria José Morgado. Ou seja, que o árbitro bracarense esteve em sua casa dois dias antes do jogo que o FC Porto empatou e que recebeu um envelope com dinheiro, que lhe foi entregue por Pinto da Costa.

Argumentos

O presidente do FC Porto continua a defender, pelo seu lado, que o árbitro apenas foi a sua casa por iniciativa do empresário António Araújo e que ali tomou um café. Questionado sobre o teor da conversa, disse que foi “sobre nada”.

Augusto Duarte, por seu lado, continua a negar ter recebido qualquer envelope com dinheiro e ter tido influência no jogo que apitou.
(in "Record on-line")

COMENTÁRIO – E é normal um árbitro ir tomar café a casa de um presidente de clube para falar de nada? E nas vésperas de um jogo com esse mesmo clube? Então os árbitros todos andam a tomar cafés em casa dos presidentes de todos os clubes? Ou é só dos amigos? Já agora: qual é o próximo árbitro que vai tomar café com um presidente? Onde? Quando?

quinta-feira, 14 de junho de 2007

As páginas

13 de Junho de 2007
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR

30 de Maio de 2007

quarta-feira, 13 de junho de 2007

terça-feira, 12 de junho de 2007

França


10 a 17 de Junho

Espanha aqui tão perto...

Prima histórica:
2.000.000
para el Mallorca
por ganar al Madrid


segunda-feira, 11 de junho de 2007

Memórias

Fausto Correia: um dos convivas de ontem

Foi uma tarde bem passada, a de ontem.
Logo à chegada, o reencontro (efusivo) com João Cavaleiro.
Depois, à mesa, o diálogo com Francisco Andrade, José Vítor e Machado.
[Impecável a organização de João Trindade.]
À sobremesa, Fausto Correia juntou-se à conversa.
E apareceu o Baptista, vizinho da Travessa do Paço do Conde e "lateral" aguerrido; e, com ele, recordações de um célebre jogo no Campo da Lufapo.
Histórias (e "estórias") do liceu, do futebol, da Baixa, ... de Coimbra.
Foram seis horas que passaram depressa.

domingo, 10 de junho de 2007

10 de Junho


A Associação dos Portugueses no Estrangeiro afirma que os emigrantes «nunca foram tão maltratados como agora», com o encerramento de consulados, o fim do porte pago e o desinvestimento no ensino da língua portuguesa.

«Nunca as comunidades portuguesas foram tão maltratadas como o estão a ser agora por este governo», refere a associação em comunicado.

«Com um secretário de Estado insensível e desfasado da realidade, assiste-se ao desmoronar do pouco que as nossas comunidades emigradas dispunham - Consulados encerrados e outros despromovidos, redução drástica do porte pago para as publicações enviadas para os emigrantes, supressão das contas poupança-emigrante e um ensino da língua portuguesa cada vez mais carenciado e desagregador», afirma.