sábado, 26 de janeiro de 2008

Bastonário... no futebol

Hoje à tarde fui ao Luso assistir ao Académica-Candal, em juniores.
Na Briosa estão vários jovens da "minha equipa" e ainda não tinha tido oportunidade de os ver jogar esta época.
A Académica venceu (sem discussão) por 2-0. Aliás, o "resultado certo" (como se no futebol existissem "resultados certos"...) teria sido 4-1.

Ainda o jogo não tinha chegado ao descanso e ouço, ali ao lado, a seguinte expressão:
«O homem está carregado de razão. Deviam existir era mais quatro como ele!».
Falavam do bastonário da Ordem do Advogados.
Ou muito me engano ou o Povo já fez a sua avaliação sobre a polémica agora iniciada.

(PS - Gostaria de ter tempo para reflectir sobre este último tema, englobando o facto de ter existido uma "Operação Mãos Limpas" em Itália conduzida pelo poder judicial, de um famoso banqueiro estar detido em Espanha e de aqui ao lado trabalhar alguém como Baltasar Garzón, enquanto na minha terra é um advogado, no caso o bastonário da Ordem dos Advogados, a levantar a voz contra a corrupção, na sequência de um "alerta" do Presidente da República. Gostava de ter o talento necessário para "encaixar" as peças deste "puzzle". Ou seja: saber passar para o papel aquilo que sinto. Para já, de qualquer modo, deixo aqui uma palavra de solidariedade ao Marinho Pinto - o mesmo António Marinho que conheci nesta vida das notícias e que admiro).

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Números democráticos

Título principal do jornal "Sexta":
Pagamos hoje pelo pão 60 vezes
mais do que em Abril de 1974


Título no interior, à largura de 2 páginas:
O pão subiu 60 vezes, o salário 25

Aqui.

Profunda reestruturação

(clique na imagem para ampliar)

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Última hora

Eduardo Simões: processo segue para julgamento

O processo por que José Eduardo Simões está acusado de corrupção passiva vai ser imediatamente enviado ao Tribunal de Coimbra - Vara Mista para marcação da audiência de julgamento, apurou hoje o “Campeão”.

O presidente da Académica/OAF, na qualidade de anterior director de urbanismo de Coimbra, foi acusado, em Dezembro de 2006, pelo Ministério Público, de eventual prática de oito crimes de corrupção passiva (quatro para acto lícito e quatro para acto ilícito).

A norma do Código Penal referente a corrupção passiva para acto ilícito prevê a punição com pena de prisão de um a oito anos para funcionário (corrompido) que, por si ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, solicitar ou aceitar, para si ou para terceiro, sem que lhe seja devida, vantagem patrimonial ou não patrimonial, ou a sua promessa, para qualquer acto ou omissão contrários aos deveres do cargo. A corrupção passiva para acto lícito é punível com pena de prisão até dois anos ou multa até 240 dias.

Sobre Eduardo Simões recai a suspeita de, enquanto director de urbanismo na Câmara de Coimbra (2003/2005), ter favorecido promotores imobiliários a troco de donativos para a Académica/OAF (por ele liderada desde o início de 2005 e de que foi vice-presidente no biénio 2003/2004).

Capas de hoje

Uma primeira página com muito para ler...
Um jornal todo ele apresentado em banda desenhada.
Só mesmo o "Libération".
(clique nas imagens para ampliar)

Último minuto

«Um dos pontos previstos no programa da visita de Correia de Campos ao Centro Hospitalar de Coimbra era dar posse ao Conselho Consultivo presidido por Vital Moreira, mas ninguém ficou a saber se o acto teve ou não lugar. É que questionado sobre o local onde tal cerimónia ocorreria, no decorrer da visita ao Serviço de Cardiologia, o presidente do Conselho de Administração respondeu um tanto ou quanto agressivamente: “Só divulgamos no último minuto”. Último para ele, porque para os jornalistas o último minuto da visita foi o anterior à divulgação do local.»
(in “Campeão das Províncias” de hoje)

CONCLUSÃO – Ministro, empossados e C.ª ficaram a "falar sozinhos".

COMENTÁRIO – Ainda há jornalistas!
(É nestas ocasiões que me orgulho de ser jornalista)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

No caminho da LIBERDADE

«Foi arquivado o Inquérito n.º 28/07.0TELSB relativo à queixa intentada pelo cidadão José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa e primeiro-ministro enquanto tal contra mim, António Balbino Caldeira».
(in "Portugal Profundo", o blogue que questiona o modo como o primeiro-ministro obteve a licenciatura em Engenharia na Universidade Independente, que foi encerrada pelo actual Governo)

Um abraço solidário ao Prof. António Balbino Caldeira.

Quem fala verdade?

«O presidente do Laboratório Nacional de Engenharia Civil revelou ontem que o Governo conhecia, desde 19 de Dezembro, as conclusões do estudo que apontou Alcochete como a melhor localização para o aeroporto. Afirmações que contrariam José Sócrates e Mário Lino, que garantiram só ter tido conhecimento do estudo a 9 de Janeiro.»
("Público" de hoje)

COMENTÁRIO – Isto está a ficar cada vez mais lindo... Pobre país.

ACTUALIZAÇÃO às 22h13 de 23/01/2008:
O ministro das Obras Públicas afirmou hoje que dia 3 de Dezembro teve conhecimento das conclusões dos relatórios sectoriais do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) que apontavam Alcochete como melhor alternativa para a construção do aeroporto de Lisboa.
«No dia 3 de Dezembro o presidente do LNEC informou-me das conclusões dos relatórios sectoriais», disse Mário Lino, citado pela Lusa.
("Jornal de Negócios on-line")

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Capa do "Libé"

"Libération"

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Bolsa a pique

Assim se prova a teoria de que tudo o que sobe também desce...

2,5 milhões de declarações de IRS no lixo

Os formulários das próximas declarações de IRS foram mandados imprimir duas vezes. Ao todo, foram desperdiçados 2,5 milhões de cópias porque a primeira versão enviada pelas Finanças à Imprensa Nacional Casa da Moeda não tinha um campo para o NIB do contribuinte.

As Finanças não avançam com o custo deste desperdício, remetendo para uma negociação posterior com a Casa da Moeda.

COMENTÁRIO – A notícia não o refere, mas nós sabemos bem quem vai pagar este disparate.

domingo, 20 de janeiro de 2008

Sabor a mar

Tarde de sol.
Mar calmo.
Cheiro intenso a maresia.
O oceano aqui tão perto...